Política

Legalização da maconha: uma solução para guerra as drogas?

Legalização da maconha: uma solução para guerra as drogas? 1

No último texto que publiquei, falei como a criminalização das drogas não reduz o consumo das substâncias, ele só faz com que esse mercado se torne um monopólio controlado por organizações criminosas. 

anúncios que podem te interessar


É difícil conseguir estimativas concretas do tamanho do Narcotráfico mundial, um relatório da ONU de 2003 que calcula que a receita do narcotráfico mundial era de 320 bilhões de dólares na época. Tudo indica que este mercado só cresceu desde então.  Para se ter uma ideia de quanto dinheiro isso é, dos 211 países da ONU, só 34 tem um PIB maior que isso. E ao se comparar com o mercado de outras atividade ilícitas, como prostituição e tráfico de armas, o tamanho deste mercado fica ainda mais aparente. A prostituição movimenta globalmente cerca de  186 bilhões de dólares, metade do narcotráfico. Enquanto o tráfico ilegal de armas movimenta apenas 1 bilhão.

Esse mercado movimenta tanto dinheiro, que quem controla ele tem dinheiro e poder o suficiente pra corromper as instituições que tem o papel de fiscalizar essas atividades. 

Uma solução proposta para combater o narcotráfico é legalizar o consumo de drogas mais leves como a maconha. Para que parte da receita desse mercado gigantesco deixe de financiar outras atividades criminosas, e ao invés disso seja usado para criar empregos e pagar impostos. Vamos ver o que aconteceu nos países e estados em que o uso recreativo foi legalizado. 

Uruguai

Image result for Uruguay flag

O Uruguai foi o primeiro pais no mundo a legalizar o consumo recreativo de canabis durante  o Governo do Mujica. No primeiros 6 meses a receita do mercado de cannabis cresceu em 4 vezes, e hoje o espera-se que o Uruguai se torne o primeiro país a exportar 1 bilhão de dólares em medicamentos à base de cannabis para o resto do mundo. 

Estados Unidos

Image result for USA FLAG

Já nos Estados Unidos, não houve uma legalização da Cannabis em nível federal. Ao invés disso, alguns estados legalizaram o uso recreativo e medicinal no nível estadual, onde a California foi o primeiro a legalizar o uso medicinal em 1996 e o Colorado foi o primeiro a legalizar o uso recreativo em 2012. Desde 2012, o mercado canábico criou entre 200 e 300 mil empregos e mesmo a droga ainda sendo ilícita em nível federal, esse é um dos setores de trabalho que mais crescem no país. Além disso, nos estados americanos mais próximos do México, desde a legalização houve uma redução na criminalidade e violência. Já que as operações dos cartéis mexicanos foram substituídas pelo setor privado. No estado do Colorado, após a legalização do uso recreativo, o índice de uso de canabis entre adolescentes caiu para o nível mais baixo em mais de uma década(13% para 9%). Além disso, lá os impostos recolhidos da venda de cannabis são direcionado diretamente para educação, tratamento de dependentes químicos e criação de moradia para pessoas que vivem na rua. Só pra educação foram arrecadados mais de 300 milhões de dólares nos primeiros anos de legalização.  

Canada

Legalização da maconha: uma solução para guerra as drogas? 2

E no Canada, que tem um população de apenas 37 milhões de pessoas, teve uma receita de 1.6 bilhões de dólares nesse mercado em 2018, que dobrou se comparado ao ano anterior do ano anterior. E a previsão é que a receita total deste mercado chegue a 7.8 bilhões de dólares no ano de 2022. Além disso, o fato do Canada ter sido o primeiro pais industrializado a legalizar o uso recreativo da maconha, fez com que ele atraísse investimento externo direito para esse mercado, e as ações das empresas que lidam com o mercado canábico tem crescido fortemente desde então. 

Conclusão

Com esse exemplos fica claro que nos países onde a legalização da cannabis foi feita, foi criado um mercado milionário, atraiu investimento internacional, criou centenas de milhares de empregos, reduziu a receita e a presença do crime organizado e quando feita de maneira correta até reduziu o consumo de drogas entre jovens e adolescentes. 

Nós estamos lutando a Guerra as drogas a quase 50 anos, e desde então as organizações criminosas se tornaram mais fortes e sofisticadas, a quantidade de pessoas que consomem drogas não mudou e as drogas se tornaram mais potentes. Se esta não é a definição do fracasso, eu não sei o que é.  

Dizem que a definição de loucura é fazer a mesma coisa, repetidamente, e esperar um resultado diferente. 

Eu vejo que nós temos duas opções, ou mantemos o status quo atual e continuamos gastando milhões tentando lutar contra o crime organizado sem nenhum avanço, ou podemos se juntar a esses países no século XXI e realmente resolver esse problema. 

Bom, caso tenha interesse em saber mais sobre o assunto, assista ao vídeo abaixo onde trato do tema. Acompanhe os outros vídeos desta série, onde falo mais detalhadamente sobre a história da proibição das drogas, o interesse por trás da políticas que foram implementadas e como alguns países conseguiram solucionar este problemas com ciência e o método cientifico.

anúncios que podem te interessar


About Batpapo

Confira novidades escritas por Vitor M, apresentador e fundador do canal Batpapo que semanalmente recebe convidados especialistas em temas como política, entretenimento e tecnologia.

Related Posts

Deixe uma resposta