Aprendizado

Impactos da tecnologia 2019

Tecnologia, degradação humana tempo bem gasto

A economia de atenção está afetando o nosso tecido social compartilhado, por isso vale estudar como a tecnologia impacta na nossa mente. As empresas que criaram mídias sociais e tecnologia móvel beneficiaram enormemente nossas vidas. Mesmo com as melhores intenções, eles estão sob intensa pressão para competir por atenção, criando danos invisíveis para a sociedade.

Dependência Digital

Vício em dispositivos digitais que ocupam cada vez mais espaço em nossas vidas

Saúde mental

Constantemente enfrentamos uma batalha pela nossa atenção, comparação social e intimidação

Repartição da verdade

Tornou-se mais difícil do que nunca separar os fatos da ficção

Polarização

Rifts ideológicos mais fortes dificultam o compromisso e a cooperação

Manipulação Política

Criar discórdia através da guerra cibernética é muito mais rentável do que a ação militar

Superficialidade

Um sistema social construído sobre gostos e compartilhamentos prioriza a profundidade sobre a profundidade. As conversas mais recentes sobre o futuro concentram-se no ponto em que a tecnologia supera a capacidade humana…

Mas eles ignoram um ponto muito anterior em que a tecnologia excede as vulnerabilidades humanas.

O descompasso entre nossas sensibilidades humanas naturais e o poder de crescimento exponencial da tecnologia abre a porta para a extração maciça e monetização de nossos pensamentos, emoções e ações – gerando uma série de efeitos colaterais prejudiciais, tais como:

  • Períodos de atenção mais curtos
  • uma reação extremamente forte de raiva, choque ou indignação sobre o diálogo
  • Viciando nossos filhos
  • Democracias polarizantes
  • Transformando a vida em uma competição por gostos e compartilhamentos

Enquanto atualizamos nossa tecnologia nós temos degradado a humanidade.

O caminho a seguir

Este é um momento histórico – nunca antes a tecnologia teve o poder de mudar profundamente os seres que a criaram. Estamos em um ponto de virada onde podemos permitir que esse poder continue sem controle, ou contê-lo construindo uma combinação de novos processos de design, novas metas e métricas, novas estruturas organizacionais e novos modelos de negócios reduziriam drasticamente as externalidades prejudiciais, apoiando ativamente nosso bem-estar individual e coletivo.

A tendencia é que as tecnologias sirvam para complementar o homem respeitando aquilo que permanece com ele desde os primórdios, por exemplo a necessidade de se relacionar – video in a nut shell

Como podemos pensar na tecnologia em favor da NATUREZA do homem? ou seja aquilo que permanece desde os primórdios

O bem estar humano depende das relações sociais, então temos que construir nosso mundo artificial baseado nessas necessidades. 

Redes sociais

vocês ficaram sabendo que o o Instagram e o Twitter estao fazendo algumas mudanças?

O Instagram está testando um novo recurso / que vai tirar a quantidade curtidas que aparecem nas postagens. Isso foi anunciado oficialmente na Conferência de Desenvolvedores do Facebook.

Mudanças no Instagram

O negocio é o seguinte:  eles querem que os usuários se concentrem no que é compartilhado, no conteúdo, e não na quantidade de curtidas que as postagens tem”. Isso quer dizer que só você, o dono da pagina, vai conseguir ver quantas curtidas os seus posts tem.

Vai mostrar os nomes de algumas pessoas que  curtiram as fotos, como acontece agora, mas não vai mostrar mais contagem exata de curtidas. Então o pessoal do instagram quer que os seguidores interajam mais com os posts em si, e não com as curtidas que as pessoas tem.

Foram feitos varios estudos sobre as redes sociais e a obsessão que as pessoas tem com “curtidas” e comparação que elas fazem com outras pessoas on-line. 

Centros de estudo como o Royal Society for Public Health (RSPH) e Young Health Movement analisaram o impacto dessas redes sociais na nossa saúde mental. 

Embora houvesse alguns aspectos positivos, como o acesso à informação, a oportunidade de auto-expressão e um sentimento de comunidade, os fatores negativos são bem pesados. 

Problemas como a qualidade do seu sono ansiedade, depressão, solidão e uma percepção negativas da sua própria imagem foram todas relatadas.

Mudanças no Twitter 

Já Twitter Lançou um aplicativo separado,  que tem objetivo de resolver um dos maiores problemas do Twitter atualmente, que é todos gritando, e ninguém falando. A ideia é promover o dialogo ao invés de apenas a indignação.

Graças à sua plataforma pública e à posição de liberdade de expressão, o Twitter tem sido uma estufa para desinformação , assédio e indignação . 

A liderança da empresa acredita que grande parte dos problemas foram causados por como a plataforma foi construída no começo.

A empresa sediada em São Francisco está tentando resolver esses problemas institucionais com correções de produtos, sem tirar o que torna a plataforma especial. 

Mas não é claro o que essas correções são e se elas irão realmente melhorar a situação. Então, sim, a empresa está revisando fundamentalmente seu produto, mas está começando com pequenos passos nessa segunda plataforma.

A equipe acha que isso ajudaria a melhorar a compreensão. Talvez as pessoas não reagiriam imediatamente/ e considerassem o tom da conversa. Talvez os usuários parassem de brigar o tempo todo.

Ou talvez, nem mesmo milhares de ajustes de produto sejam suficientes para consertar os problemas com de uma cultura que já dura mais de 13 anos.

Assim como o Instagram o Twitter estuda a remoção de métricas de engajamento por causa de como elas incentivam os usuários a acumular mais curtidas, retweets, seguidores e atender ao que os leitores os procuram. 

Uma opção é tornar o design das respostas o minimalista, além de revelar como os participantes da conversa estão relacionados a você para incentivar as pessoas a ler todo o texto antes de reagirem à uma publicação.

A coisa mais importante que o twitter pode fazer é observar os incentivos que está incorporando ao seu produto. Isso porque a maneira com que a ferramenta funciona mostra o ponto de vista do que queremos que as pessoas façam – e talvez essas funcionalidades precisem ser atualizadas.

Hoje a conversa é sobre como curtidas e retweets poderia mudar como as pessoas lêem as coisas. É interessante pensar que o fato de algo ser popular pode mudar a maneira como as pessoas interagem em uma conversa ou se interessa por um assunto.

Em seus primeiros anos o Twitter focou na interatividade e informações como número de seguidores, curtidas, retweets e respostas, mas agora está tentando mudar o que por muito tempo encorajou as pessoas a fazer.

Como falei inicialmente o Twitter não está sozinho nisso. Líderes de tecnologia em todo o setor estão repensando o papel dos incentivos de suas plataformas, em resposta às críticas de que as plataformas de tecnologia fazem mais mal do que bem . 

O objetivo

Trata-se de criar um ambiente menos pressurizado onde as pessoas se sintam confortáveis em se expressar e se concentrar menos em contagens.

A civilidade é um aspecto realmente importante para conversas saudáveis. É muito difícil para as pessoas sentirem que podem falar livremente se não se sentirem seguras o suficiente.

As redes sociais estão dedicando esforços para tornar a experiência em sua plataforma melhor e mais agradável. Mas ainda há muito a superar com abuso e assédio, bem como problemas que não têm um tom simples de correção como o sexismo na internet.

 Uma revisão de produto talvez não seja suficiente para alterar a fonte primária de assédio em sua plataforma que são os seus próprios usuários.

O que vc acha desse assunto? Já teve alguma experiencia negativa nas redes sociais? Como vc acha que a gente pode melhorar nossos interações nelas?

Instagram está escondendo curtidas na Austrália

O Instagram iniciou um teste na Austrália para remover o número de curtidas que um post recebe.

O teste começou no Canadá em maio e agora está sendo implementado em outros seis países: Austrália, Nova Zelândia, Brasil, Irlanda, Itália e Japão.

Nas alterações, o Instagram agora ocultará o número total de curtidas em uma imagem e visualizações de vídeo em Feeds, Páginas Permalink e Perfis do público.

“Queremos que o Instagram seja um lugar onde as pessoas se sintam confortáveis ​​em se expressar”, afirma Mia Garlick, diretora de política do Facebook na Austrália e na Nova Zelândia.

“Esperamos que este teste remova a pressão de quantos likes um post receberá, para que você possa se concentrar em compartilhar as coisas que adora.”

A pressão de ganhar curtidas tem sido criticada por impactar o bem-estar mental dos usuários, particularmente os mais jovens, com um estudo do Pew Research Center mostrando que 37% dos adolescentes norte-americanos sentem-se pressionados a postar conteúdo que atraia muitos gostos.

Instagram

O Instagram removerá o número total de curtidas exibidas nas postagens

Especialistas em mídia social australiana estão confiantes de que a iniciativa melhorará o bem-estar dos usuários e influenciadores.

Suzie Shaw, MD em We Are Social, diz que esconder o número de curtidas criará um ambiente onde “auto-expressão, conexões humanas e engajamento genuíno” é mais valorizado do que a “recompensa efêmera” de curtidas.

Os usuários ainda podem ver o número de curtidas que recebem e o Facebook diz que isso não afetará as ferramentas de medição, como Insights ou Ad Manager, usadas por empresas e criadores de conteúdo na plataforma. 

Aqueles afetados pelo teste serão notificados por um banner na parte superior do feed.

Esconder likes do Instagram não vai matar influenciadores

O teste do Instagram para esconder o número de curtidas em posts para melhorar o bem-estar mental dos usuários desencadeou teorias sobre o que realmente é o motivo. 

A plataforma de mídia social divulgou ontem as mudanças para a Austrália após testes no Canadá no início deste ano. A empresa-mãe do Instagram, Facebook, disse que isso foi feito para remover a pressão de perseguir curtidas.

“Queremos que o Instagram seja um lugar onde as pessoas se sintam confortáveis ​​em se expressar”, disse Mia Garlick, diretora de política do Facebook na Austrália e na Nova Zelândia.

No entanto, os australianos estavam céticos, referindo-se ao uso de dados pessoais pelo Facebook e apresentando suas próprias teorias.

Uma delas é que o Instagram está tentando matar influenciadores que se associam diretamente com as marcas e, portanto, consomem o potencial de publicidade do Facebook.

A ideia é que, sem os gostos visíveis, a influência dos influenciadores é diminuída e as marcas voltarão a pagar ao Instagram para exibir seus anúncios.

No entanto, os likes já se tornaram uma métrica insignificante para influenciadores e marcas que reconhecem que os usuários simplesmente não se envolvem com postagens tanto quanto costumavam. Em vez disso, eles veem métricas como alcançar mais importantes.

Os fornecedores de marcas e influenciadores também podem solicitar dados sobre gostos com a ferramenta Insights e Ad Manager, que não serão afetados pela alteração.

Detch Singh, CEO do Hypetap, provedor de influenciadores, diz que esconder gostos não mudará o valor do marketing de influenciadores.

“O maior impacto comercial da remoção de gostos está nos provedores de influência que ainda usam manualmente os dados públicos para seus processos de identificação e avaliação”, diz Detch.

O Facebook está trabalhando para extrair mais dinheiro dos influenciadores de outras formas. No mês passado , ficou mais fácil para as marcas promoverem conteúdo de marca orgânica , o que Natalie Giddings, do The Remarkables Group MD, diz que resultará em marcas redirecionando mais verbas de publicidade para o Facebook ou Instagram do que para influenciadores.

Os influenciadores, em grande parte, deram boas-vindas à iniciativa, dizendo que ela permite que eles se apresentem para as marcas sem o ônus de ter que se mostrar para os outros com métricas públicas.

Embora haja dúvidas sobre a eficácia da remoção de uma métrica na melhoria do bem-estar mental dos usuários, quando o Instagram permanece repleto de imagens corporais e de estilo de vida, os especialistas em mídia social estão confiantes de que isso terá impacto.

Filip Sarna, diretor social da Publicis Media, diz que os estudos mostram que usuários em plataformas sociais que não têm métricas de vaidade, como o Snapchat, são mais felizes.

“A experiência do usuário é extremamente importante para plataformas sociais; e se as pessoas mais felizes forem mais receptivas à publicidade, uma melhoria para os usuários também resultará em melhor eficiência do anúncio e, em última análise, resultará em maior gasto de anúncios ”, diz Sarna.

“Então, nesse sentido, para o Instagram, usuários e marcas, é um ganha-ganha-ganha”.

Outro problema que pode resolver é o combate a atividades fraudulentas como “como bots” e “Instagram pods” (influenciadores que se unem para aumentar sua métrica de engajamento de contas mútuas), com Sarna dizendo que esconder gostos terá um “grande impacto”.

“Espero que continue o amadurecimento das mídias sociais como um canal eficaz de comunicação e mídia para os objetivos de negócios das marcas”, diz ele.

“Evitar perseguir gostos é um grande passo para a indústria. Ele também mudará o foco com influenciadores, longe do engajamento privado do contexto, foram os gostos para a marca mostrada, ou para o que ele / ela estava usando ?, ao invés de como a atividade deles ajuda a marca. ”

Por que o Facebook e o Instagram estão facilitando a promoção do conteúdo do influenciador?

O Instagram anunciou que está tornando mais fácil para os anunciantes promover postagens de conteúdo de marca orgânica após um teste em andamento desde novembro do ano passado. É um dos maiores pedidos das marcas, segundo o Instagram. Então, por que eles fizeram esse movimento?

Simplificando, as marcas querem alcançar mais pessoas, o conteúdo dos influenciadores (o Instagram os chama de Criadores) atrai resultados mais favoráveis ​​do que ao ampliar seu próprio conteúdo, o que é bom para as marcas e para os negócios familiares Facebook e Instagram.

Nossos dados repetidamente mostram que o público responde até três vezes melhor ao conteúdo dos influenciadores, superando o conteúdo da marca quase sempre.

Esse efeito também é replicado ao amplificar esses posts também. Dar às marcas uma razão convincente para redirecionar mais dólares de publicidade para o Facebook ou o Instagram.

Uma porcentagem do orçamento de cada plano de influenciador deve incluir um orçamento de amplificação de conteúdo que também atinja um grupo muito maior de pessoas com o conteúdo que a marca e o influenciador trabalharam arduamente para co-criar.

Até mesmo um orçamento mediano pode elevar o programa a atingir os milhões. A ampliação dos posts de influenciadores em nome de nossos clientes é algo que sempre recomendamos devido aos fortes resultados que vemos.

Praticamente, essa mudança facilitará muito a execução desses programas (o que é um processo muito manual e complicado às vezes), dará às marcas patrocinadoras acesso muito mais integrado aos dados e dará aos Influenciadores a oportunidade de obter muito mais exposição do que vimos até agora com parcerias de marca.

É também uma demonstração muito positiva do gigante social que o conteúdo do Influenciador não é apenas efetivamente organicamente, mas como “conteúdo publicitário”.

Com potencial para se envolver além de seus próprios seguidores leais e atingir mais audiências de massa de forma eficaz. A julgar pelo apoio constante que o Facebook está mostrando, também é uma tendência na qual eles acreditam e a força do conteúdo ajudará suas soluções de publicidade a trabalhar mais para as marcas e a liberar mais dinheiro para anúncios.

Este desenvolvimento também pode trazer um melhor nível de responsabilidade para a atividade de Medição em torno do Marketing de Influenciadores, que muitos ainda medem sobre o ‘alcance potencial’ baseado apenas no número de seguidores que alguém tem.

Qualquer pessoa com alguma experiência em Mídias Sociais saberá que é uma rara anomalia para qualquer pessoa, influenciador ou marca atingir 100% de seus seguidores organicamente. (Convido todas as equipes de marketing a questionar essa métrica se alguma vez for apresentada a você).

Agora, os painéis devem medir com precisão as métricas como erach, engagement e onde o público que recebe esse conteúdo está no mundo.

A desvantagem potencial? Este desenvolvimento significa que o Facebook e o Instagram terão um maior controle sobre o desempenho do Influenciador e há um risco de que eles se tornem mais sujeitos à vontade de mudanças no algoritmo.

No entanto, aqueles que trabalham duro para manter uma forte conexão com seu público através de conteúdo orgânico continuarão a ver um forte engajamento que, por sua vez, deve mantê-los em contato com seus seguidores leais.
Read more at

Tecnologia, degradação humana tempo bem gasto - Clique na imagem para ler sobre ciência e tecnologia
Tecnologia, degradação humana tempo bem gasto

Confira as fontes: Globo GQ, Sam Harris Podcast (inglês), Center for humane technology (inglês), Share for the future (inglês), Instagram estuda remover os likes da plataforma (inglês), Empresas gravam as falas dos usuários (inglês), Executivos do Facebook tem diferentes opiniões sobre privacidade dos usuários, Adnews, Facebook e Instagram e influencers

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *